Por Carlos Lima

O útero situa-se na cavidade pélvica, logo por trás da bexiga [1], à frente do recto [2] e no fundo da vagina. Tem a forma duma pêra invertida e é sensivelmente do tamanho dum punho. É o local onde ocorre a menstruação, a nidação do ovo fertilizado, o desenvolvimento do feto durante a gravidez e o trabalho de parto.

É constituído por três partes: o fundo, o corpo e o colo. O fundo é a parte do útero que fica acima da região da implantação das trompas de Falópio, ou trompas uterinas. As trompas são a sua ligação com o ovário [3] e o local onde ocorre a fecundação.

O corpo é a parte maior do útero e é o local onde ocorre a nidação ou a implantação do ovo, alimentando e permitindo o desenvolvimento do embrião e do feto até ao trabalho de parto, através da placenta.

O colo é a estrutura que liga o útero à vagina. Encontra-se quase sempre fechado, quer por acção muscular, quer pelo muco espesso, que impede que as bactérias necessárias na vagina infectem o útero e as estruturas adjacentes (trompas e ovários [3]). Durante os períodos férteis, o aumento da temperatura e os processos hormonais fluidificam o muco e a passagem dos espermatozóides é facilitada, sendo também auxiliada pelas contracções uterinas envolvidas na actividade sexual e no orgasmo. O colo uterino é o local de onde é realizada a colheita de células para a citologia ou Papanicolau, pois fornece informação importante sobre a saúde do colo, mas também sobre o útero em geral. Como é o local de eleição para a actuação do vírus do papiloma humano (HPV), a vacina que previne a infecção do HPV é conhecida como vacina contra o cancro do colo do útero.

O útero é um músculo constituído por três camadas musculares: o perimétrio, o miométrio e o endométrio. O perimétrio é o músculo que envolve a parte externa e permite a sua manutenção na cavidade pélvica, para que útero se mantenha na posição adequada, através dos ligamentos uterinos (largo, uterossagrado, cardinal e redondo).

O miométrio é a camada média; é ela que oferece o suporte para o feto e produz as contracções para o trabalho de parto.

O endométrio reveste a camada interna do útero. É constituído por uma estrutura permanente, o estrato basal, e por uma parte que vai variando em função do ciclo menstrual, o estrato funcional. O estrato funcional é muito irrigado, vai aumentando de espessura à medida que se aproxima o período ovulatório e encontra-se totalmente desenvolvido cerca de seis dias após a ovulação, para, no caso de ocorrer a fecundação, permitir a nidação ou implantação do ovo (óvulo fecundado). Se não houver fecundação, então o estrato funcional é descartado através da menstruação e reinicia-se o processo, ou seja, um novo ciclo menstrual.

O útero é irrigado pelas artérias uterinas e drenado pelas veias uterinas. É uma estrutura extraordinária, capaz de aumentar em vinte vezes o seu tamanho, em apenas nove meses, de forma a fornecer tudo o que é necessário ao desenvolvimento dum ou mais bebés. É afectado por um conjunto de problemas, que podem inclusivamente conduzir à sua extracção (histerectomia). O mioma é uma formação benigna, em que o principal risco é o sangramento. As cervicites (infecções) e o cancro do colo do útero são problemas frequentes. Desde 2008 que todas as nossas adolescentes têm acesso à vacina contra o HPV, que está presente em praticamente todas as situações de cancro do colo do útero. Espera-se, com isso, que a incidência seja reduzida em mais de 75%. O Papanicolau ou citologia do colo do útero serve para detectar precocemente as alterações das células do colo do útero e permitir actuar rapidamente, de forma a evitar a evolução para células neoplásicas. A citologia é um exame fácil, rápido e indolor: faça-o no seu centro de saúde ou no seu médico privado — o importante é que o faça com regularidade (habitualmente de três em três anos).

Cuide da sua saúde sexual, cuide da sua saúde reprodutiva, cuide-se enquanto pessoa e enquanto mulher…

Saúde!