Por Carlos Lima

O ciclo reprodutivo feminino refere-se aos acontecimentos que ocorrem no ovário [1], no útero [2] e respectiva regulação hormonal. Tem como objetivo preparar o corpo da mulher para a ocorrência da gravidez.

Faz-se a distinção entre ciclo menstrual, ciclo ovárico e regulação hormonal, ainda que eles estejam interligados e não ocorram uns sem os outros.

O ciclo menstrual descreve os fenómenos que ocorrem no útero [2] e que estão relacionados com a preparação do endométrio (camada mucosa interna do útero) para receber o óvulo fecundado. Caso não haja fecundação, essa camada interna não é necessária e vai ser parcialmente expulsa através da menstruação, para dar lugar ao início de novo ciclo menstrual. O ciclo menstrual varia de mulher para mulher e, às vezes, na própria mulher. Tem uma duração média de 28 dias, mas pode ir dos 24 aos 35 dias.

O útero [2] passa por três fases distintas, mas contínuas: a fase menstrual, a fase pré-ovulatória e a fase pós-ovulatória.

A fase menstrual, ou menstruação, é o período hemorrágico e dura entre três a cinco dias. Nesta fase, a mulher perde entre cinquenta a 150 mililitros de sangue e células da camada interna uterina. Definiu-se que o primeiro dia da menstruação é o primeiro dia do novo ciclo.

A fase pré-ovulatória é muito irregular na duração. Caracteriza-se pelo crescimento da parede interna do útero, que chega a duplicar o seu tamanho. Criam-se vasos sanguíneos e tudo o que é necessário para garantir que, caso ocorra a fecundação, o futuro bebé tem acesso aos alimentos e ao oxigénio fornecidos pela mãe. Esta fase também é conhecida como fase proliferativa, devido ao facto das paredes uterinas crescerem muito rapidamente.

A fase pós-ovulatória é constante e tem a duração de catorze dias. Caracteriza-se pelo aumento da produção de glicogénio e acentua-se o crescimento dos vasos sanguíneos. O glicogénio funciona como reserva de energia para nutrir o embrião, que chega cerca de uma semana depois da fecundação, caso ela ocorra. Esta fase também é conhecida como fase secretora, devido à quantidade de secreções presentes no útero.

No ciclo ovárico, pela acção das hormonas, no primeiro dia da menstruação começa a amadurecer um novo óvulo no ovário [1]. A mulher já traz consigo ao nascimento todos os óvulos que vai libertar, mas é na puberdade que adquire as condições necessárias para iniciar o processo de amadurecimento e libertação dos óvulos, regra geral acompanhada da menstruação. Isto ocorre em cada ciclo menstrual e num ovário [1] de cada vez. A ovulação refere-se à libertação do óvulo maduro, nas trompas de Falópio, onde vai ocorrer a fecundação, caso haja espermatozóides disponíveis. A primeira menstruação é conhecida como menarca e, quando a mulher deixa de ovular e menstruar, diz-se que atingiu a menopausa.

No que toca ao ciclo hormonal, apesar dos estrogénios, a progesterona (produzidos no ovário [1] e no útero [2]), a hormona lúteo-estimulante e a hormona folículo-estimulante (produzidas na adeno-hipófise [3]) estarem presentes em todas as fases do ciclo reprodutivo feminino, há momentos em que há mais produção dumas em detrimento das outras. Assim, a fase menstrual é dominada pela hormona folículo-estimulante. Os estrogénios são mais abundantes nas fases pré-ovulatória e ovulatória. É na fase ovulatória a hormona lúteo-estimulante atinge um pico, acima de qualquer outra. Na fase pós-ovulatória, há maior produção de progesterona.

A menstruação é natural na mulher e não impede cuidados de higiene normais, nem implica cuidados de higiene especiais. A utilização de pensos higiénicos ou tampões ajuda a conter os fluxos menstruais. Hemorragias menstruais muito acentuadas (dois ou mais pensos diários muito encharcados e por mais que três dias consecutivos) podem levar a anemia.

A menopausa fica definida quando a mulher está mais dum ano sem menstruar e ocorre, habitualmente, entre os 45 e os cinquenta anos. Deve ser acompanhada duma alimentação equilibrada e rica em cálcio, pois, nessa fase, pode existir diminuição da densidade mineral óssea, que se traduz em osteoporose.

Saúde!