Por Carlos Lima

Os vasos sanguíneos são estruturas tubulares, que formam uma rede complexa, com aproximadamente 160.000 quilómetros de comprimento e que se destinam à movimentação do sangue [1] para as diversas partes do corpo e destas para o coração [2].

Existem dois tipos de vasos sanguíneos: as artérias e as veias.

As artérias são estruturas musculares [3], com três camadas de músculos elásticos, mas é na camada média que está o tecido muscular liso. Isto é importante, porque o tecido muscular liso tem a capacidade de transmitir impulso contráctil, dando continuidade ao impulso originado no coração e permitindo que as artérias se contraiam, impulsionando o sangue. Também permite ao corpo reduzir a passagem do sangue para as extremidades, num processo chamado de vasoconstrição periférica, que favorece a concentração do sangue nas zonas nobres do corpo, quando é necessário.

Existem três tipos de artérias: as artérias de grande calibre, as arteríolas e os capilares. As artérias de grande calibre possuem camadas musculares mais robustas e a camada de músculo liso é mais densa. As arteríolas possuem menos camadas musculares e a camada de músculo liso é mais pequena. Os capilares possuem apenas uma camada de células e uma membrana, o que permite a passagem das substâncias do sangue para as células.

As veias têm a mesma estrutura elástica das artérias, mas a camada de músculo liso não é tão desenvolvida, pelo que o impulso sanguíneo é muito mais fraco e o bombeamento do sangue é feito através da contracção dos músculos corporais das estruturas que envolvem as veias. Esta diferença permite que, em caso de corte, se consiga distinguir facilmente uma artéria de uma veia. O sangramento de uma artéria é por jactos ou golfadas, enquanto o sangramento de uma veia é constante e com menos pressão. Por outro lado, a camada mais interna das veias forma pequenas válvulas que evitam o retrocesso do sangue. As veias dividem-se em dois tipos: vénulas, que são veias mais pequenas e que recolhem o sangue dos capilares, e veias de grande calibre.

A distinção que tantas vezes se ouve entre veias e artérias, por umas transportarem sangue venoso e outras por transportarem sangue oxigenado, é verdadeira, com excepção das artérias e veias pulmonares, em que fazem exactamente o contrário, ou seja: as artérias pulmonares transportam sangue venoso do coração para os pulmões, enquanto as veias pulmonares transportam sangue oxigenado dos pulmões para o coração.

Os principais problemas das artérias são arteriosclerose e a aterosclerose [4], sendo que a arteriosclerose é uma perda da elasticidade da artéria, devido à sobrecarga sobre os músculos que a compõem, geralmente devida à hipertensão arterial. Já a aterosclerose tem a ver com a obstrução da artéria, por acumulação de gordura.

Quanto às veias, são mais afectadas pelas obstruções tromboembólicas [5], devido à formação de coágulos, principalmente em quem já possui varizes. Por vezes, esse coágulo desloca-se e vai causar problemas ao nível do pulmão — a chamada tromboembolia pulmonar. As varizes são dilatações das veias e, entre outras coisas, favorecem o aparecimento de coágulos. As pessoas que possuem varizes devem visitar o seu profissional de saúde antes de viagem longas ou de avião. Pode ser aconselhada a utilização de meias compressivas e mesmo terapia preventiva da formação do coágulo.

As artérias e as veias formam uma rede de distribuição do sangue pelo corpo e a recolha do mesmo de volta ao coração. Uma alimentação pobre em gorduras, hábitos de vida saudáveis e exercício físico são boas medidas para manter o sistema cardiovascular saudável.

Saúde!