Por Carlos Lima (com Ana Morim e Carina Viana)


Estamos aqui para falar consigo acerca dos cuidados que devemos ter, com a chegada do sol e das altas temperaturas. Apesar do sol ser um bem essencial à vida, a exposição solar sem protecção torna-se um risco para a saúde, especialmente nas crianças e nos idosos. Não quero com isto dizer que se deva isolar em casa, pois o sol também é muito importante, porque nos fornece vitamina D, que é essencial para a fixação do cálcio nos ossos. Nas crianças, é importante para o crescimento e o desenvolvimento da estrutura óssea; e, nos idosos, é fundamental, porque, à medida que envelhecemos, a pele perde a capacidade de produzir essa mesma vitamina.

Por outro lado, a exposição não protegida aos raios solares pode danificar seriamente a pele. Se não tivermos cuidado, o sol pode provocar desidratação, insolação, queimaduras, descamação, dor, pele vermelha e, a longo prazo, cancro da pele. Para além de danificar a pele, a exposição excessiva ao sol pode aumentar muito a temperatura do seu corpo [1], podendo originar exaustão pelo calor, diarreia, cãibras, dores de cabeça, tonturas, e em casos mais graves, confusão, alucinações e desmaios [2].

Saiba que se expõe aos raios solares não só quando apanha sol na praia, mas também ao praticar um desporto ao ar livre, ao fazer jardinagem ou agricultura, ou simplesmente a caminhar ao sol. Por este mesmo motivo, não devemos apenas adoptar medidas de precaução na praia, mas sempre que estamos em contacto com o sol, especialmente nos períodos de maior radiação, ou seja, entre as 10 e as 18 horas.

Para que o sol não estrague o seu Verão, deve ter alguns cuidados, começando por beber água e ter uma dieta rica em hortícolas e fruta, para evitar a desidratação.

Se sair à rua, deve colocar óculos de sol, para protecção dos seus olhos; um chapéu (e não um boné), para proteger a cabeça da radiação e do calor; usar roupa de cor clara, para não absorver a radiação; utilizar um protector solar adequado à sua pele e aplicá-lo meia hora antes de se expor ao sol, para que tenha tempo de penetrar na pele. A escolha do protector é sua, mas nós aconselhamos um protector com índice de protecção solar mais elevado no início da época balnear e, no caso de peles mais sensíveis, como é o caso das crianças e dos idosos, um protector com acção 50+. O protector solar deve ser colocado não só na cara, mas em toda a área exposta ao sol; deve, para além disso, ser utilizado mesmo quando não faz sol, para proteger a nossa pele da radiação solar, e deve ser renovado a cada duas horas e após cada banho, qualquer que seja o seu índice de protecção. Não se esqueça de que a melhor protecção é o vestuário e a sombra.

Se começar a ficar com a pele quente e vermelha, aplique panos húmidos e frios durante dez a quinze minutos várias vezes por dia, para aliviar o calor e a dor. Depois, aplique uma loção hidratante e proteja a pele de novas exposições solares até que se cure totalmente e depois durante várias semanas. Se aparecerem bolhas, não as rebente.

Estas medidas de protecção devem ser tomadas mesmo que o céu esteja nublado, porque as radiações atravessam as nuvens, e também se permanecer debaixo dum toldo ou chapéu-de-sol, onde os raios solares incidem de forma indirecta.

Torne o sol seu amigo e não seu inimigo!

Saúde!