Por Gustavo Martins-Coelho e Sofia Silva


 

Apresentação2

O gráfico acima apresenta, no eixo das abcissas, o número de horas que os alunos passam no ensino obrigatório em cada um dos países da OCDE representados no eixo das ordenadas. A cor escura, encontra-se representado o número de horas de ensino básico e, a cor clara, o número de horas de ensino secundário. A média da OCDE encontra-se representada a vermelho e o nosso país a verde.

A Dinamarca é o país onde os alunos passam mais horas da sua vida na escola (10.040), enquanto a Hungria é o país onde as crianças totalizam menos horas passadas na escola (5.553). Contudo, a distribuição por ciclos não é igual: no ensino básico, o país com mais horas passadas na escola é a Dinamarca (6.680) e aquele com menos horas é a Rússia (2.068); no ensino secundário, a Colômbia obriga os seus alunos a passar mais horas na escola (4.800), enquanto a Bélgica é o país onde os alunos passam menos horas no ensino secundário (1.917). Em praticamente todos os países, o ensino básico tem duração superior ao ensino secundário. As excepções são a Alemanha, a Áustria, a Eslováquia, a Hungria, a República Checa, a Rússia e a Turquia.

Portugal «7.513 horas, das quais 4.838 no ensino básico e 2.675 no secundário» encontra-se ligeiramente abaixo da média da OCDE.

Os dados provêm do relatório «Education at a glance 2015» [1].