Por Clube de Política do Porto


Reunido na Rua Domingos Costa Aroso, na Maia, no dia 30 de Abril de 2017, o Clube de Política do Porto declara:

1) Os estudos técnicos que serviram de base à definição do traçado das duas linhas a construir nesta fase de expansão da rede do metro do Porto devem ser publicamente acessíveis.

2) Deve ser esclarecido em que medida as duas linhas ora propostas se enquadram no plano de investimentos previsto no memorando de entendimento assinado em 21 de Maio de 2007 entre o Governo e a Junta Metropolitana do Porto e numa visão geral da rede de metro ligeiro do Porto.

3) A expansão da rede de metro do Porto deve ser discutida no quadro alargado de planeamento e organização da rede de transporte colectivo da área metropolitana do Porto, numa perspectiva de intermodalidade e complementaridade.

4A) É recomendável a reformulação do traçado da expansão proposta para a linha de Gaia, contemplando uma estação a Oés-Noroeste do Hospital Santos Silva e outra a Oeste de Vila d’Este.

4B) Fruto desta reformulação do traçado, o parque de material deve ser instalado noutro local.

5A) A expansão da linha de Gaia, a partir de Vila d’Este, deve assegurar o serviço na freguesia de Canelas.

5B) A construção duma segunda linha no concelho deve unir as freguesias de Oliveira do Douro e Canidelo, permitindo a ligação com a Linha D actualmente existente.

6) O projecto da linha da Casa da Música a São Bento deve prever e clarificar que alterações de serviço na rede da STCP, nomeadamente nas linhas 201, 208, 302/303, 501, 507 e 601, serão introduzidas em associação com a abertura da referida linha de metro ligeiro.

7) O percurso da nova linha da Casa da Música a São Bento deve ser reformulado, servindo as estações de São Bento, Hospital de Santo António, Praça da Galiza e Faculdade de Letras, contemplando a sua extensão, pelo Campo Alegre, a Matosinhos Sul, tal como previsto no projecto de desenvolvimento do sistema de metro ligeiro do Porto de 2008, e eliminando a ligação à Casa da Música.

8) A estação do Hospital de Santo António deve ser construída no extremo Oeste do Jardim do Carregal, mais próximo da entrada da Consulta Externa do Hospital e das faculdades localizadas na Rua Jorge Viterbo Ferreira.

9A) A aquisição de novos veículos deve ser contemplada no orçamento do projecto de expansão da rede do metro do Porto.

9B) Essa aquisição deve ser realizada através de uma candidatura ao Fundo Europeu de Investimentos Estratégicos.

10) Devem ser concedidos benefícios fiscais, a nível municipal, às empresas que disponibilizarem assinaturas mensais Andante aos seus trabalhadores.

Siglas:

CP — Comboios de Portugal
ISMAI — Instituto Universitário da Maia
STCP — Sociedade de Transportes Colectivos do Porto

Maia, 30 de Abril de 2017

Gustavo Martins Coelho, Hugo Pinto de Abreu, Luís Renato Figueiredo, Noémia Lemos Costa


Este é um excerto da declaração sobre a expansão da rede do metro do Porto. Leia a declaração completa [1].

Gostaria de participar nas reuniões do Clube de Política do Porto? Preencha o formulário [2] e será informado/a da próxima!