Por Fábio Morgado


Semana após semana, algo relacionado com o Benfica me deixa desgostoso.

Na altura da redacção deste artigo, ainda não vi o jogo do fim-de-semana. Se vier a ser o pior jogo de sempre, já sabe o leitor por que não irei falar disso.

Quero falar é da vergonha que os adeptos do Benfica estão a ser neste momento. Percebo o descontentamento da massa adepta; todos querem vitórias, seja em que clube for. O descontentamento dos adeptos encarnados é representado através de assobios e de lenços brancos. Os lenços brancos agitados são usados também nas praças de touros espanholas, quando o animal vai sofrer a estocada final; é uma despedida do público ao bravo bovino.

Abro aqui um parêntesis para dizer que, embora perceba a tradição das touradas, sou contra a continuação das mesmas. É crueldade para com um animal que nem é particularmente selvagem. Sugiro aos toureiros que tentem fazer a mesma coisa com um leão ou um tigre e aposto que haveria muito mais mortes humanas do que animais. Numa altura em que tanto se fala de bullying (que, curiosamente, mantém uma relação fonética e possivelmente etimológica com bull — touro) nas escolas e no trabalho, devo dizer que as touradas são basicamente bullying animal.

Mas voltemos aos aos adeptos e aos seus lenços brancos. Tal como na tourada, estão a pedir a «morte» do treinador, ao se despedirem deste. Até aqui, tudo bem; os adeptos exprimem-se e têm todo o seu direito. Os jogadores também têm direito a defender-se e tanto Grimaldo como Jonas se defenderam publicamente sem atacar ninguém, na minha opinião.

Mas, infelizmente, vivemos numa realidade de «virgens ofendidas» e os adeptos do clube foram à conta do Instagram do jogador Grimaldo atacá-lo, dizendo para jogar mais à bola e usar menos o Instagram entre outros dichotes.

Antes de mais, é caso para dizer que, se acham que fazem melhor do que o Grimaldo, por que não prestam provas para serem colocados na equipa principal do Benfica, em vez de estarem no Instagram a criticar o trabalho dos outros? Ao menos, o Grimaldo ataca e defende bem, é rápido e sabe ler o jogo.

O maior problema do Benfica nos últimos tempos tem sido a finalização, até porque, em termos de defesa, tem estado sólido — muito por mérito do grande guarda-redes que é Odisseias e do rigor táctico dos defesas centrais e laterais. É óbvio que, como em todas as profissões, existem dias maus — e o jogo contra o Moreirense calhou num desses dias. Grimaldo é um dos melhores defesas esquerdos que o Benfica já teve e até nem tem jogado mal.

Um jogador que se sente atacado, mesmo que seja virtualmente, é natural que não se sinta querido pelos adeptos. Logo, terá mais vontade de partir.

Se o Benfica fosse o McDonald’s, Grimaldo seria o empregado da caixa. Ele recebe o pagamento e faz o pedido à cozinha, mas alguém troca os pedidos e o caixa entrega a refeição errada. O cliente reclama; se for uma pessoa civilizada, fá-lo-á de maneira ponderada, mas, se for alguém com falta de maneiras, poderá insultar o funcionário e até gritar. A acontecer constantemente, fará com que o funcionário procure um emprego alternativo, onde não tenha de ouvir clientes indispostos.

Grimaldo é o caixa, deu a cara e está a ser atacado. Se isto continuar, vai pensar que não vale a pena e vai procurar mudar para outro clube, por uma verba que não atinge o seu real valor, porque irá forçar a saída.

Sinceramente, os adeptos do Benfica estão a um passo de imitarem os seus vizinhos da Segunda Circular e irem fazer uma visita à equipa no Seixal.

A solução? Arranjem um passatempo que vos ocupe. O Benfica não vos dá de comer, não dependam do Benfica para vos fazer felizes, não tenham como única fonte de entretenimento o Benfica.

Façam como eu: para ventilar o meu desagrado com os jogadores ou os adeptos, não vou para as redes sociais atacar as pessoas — escrevo neste espaço de opinião!…

O Benfica não ganhou? Vou para a Playstation jogar com o equipamento do Benfica e ganho lá eu os jogos. O futebol não é a nossa vida; é um entretenimento, como ver um filme.

Tanto num filme como no futebol, os artistas é que têm de fazer pela vida, senão não terão mais sucesso no futuro. Pelo contrário, até correm o risco de não voltarem a ser contratados, por causa do mau desempenho.