Por Gustavo Martins-Coelho


Largar as amarras
das regras de mim
impostas a mim
é libertador;
e isto é uma grande verdade
de La Palisse.

Mas o texto é meu,
as verdades são minhas
e o resto nada interessa.

Podia era ter acertado com o número.

Mas é mais uma amarra desfeita
por entre a auto-disciplina desnecessária.

Se rimasse,
como poesia,
seria perfeita.

Como prosa, é só parva.